O blog do curso de Eng.Civil da FCT

sexta-feira, dezembro 29, 2006

Boas Festas

Só para desejar a todos os utentes do blog, colegas da fct, amigos ou simplesmente conhecidos uma boa passagem de ano, que a vossa bebedeira seja tão grande ou maior que a minha!!

*cheers*

saudações etílicas

terça-feira, dezembro 12, 2006

JANTAR DE NATAL

Parece que a minha proposta foi bem recebida por alguns dos civis e em reunião decidimos mesmo realizar uma jantarada para comemorar esta época festiva, e em vez de irmos gastar os euros em chocolates, vamos deixá-los no ramo da restauração e quem sabe numa discoteca bem agradável!
->>>Apontem ai , jantar de natal do pessoal de civil , no dia 20 de Dezembro (quarta-feira) , no Restaurante Cinderela, localizado em entrecampos. ( a hora fica para informação posterior).
Preço: deve rondar os 12€
Para quem se quiser inscrever basta deixar a sua marca de presença e lealdade ( nada de fraudes !) na caixa destinada aos comments!

segunda-feira, dezembro 04, 2006

O Porquê da Louca corar

Após intenso e dedicado estudo, consegui averiguar uma verdade que todos gostariam de deslindar: o Porquê da Louca corar..
Como todos já devem ter notado, a Louca cora intensamente em alguns momentos e aparentemente sem razão. Pois bem, após sacrificar imensas horas do meu precioso tempo a investigar a razão acabei por descobrir diversas razões, todas muito verídicas e de imensa utilidade para todos os assíduos estudantes as aulas desta … (eu ia dizer senhora mas acho que n tem nada a ver..) LOUCA!
Retomemos a história da adolescência dela pois é sempre nestas alturas que os acontecimentos mais marcantes e vergonhosos acontecem. Andava a Louca pela inocente idade dos 16anos, para muitos de nós essa idade já corresponde a alguma sabedoria e conhecimento dos factos óbvios da vida, mas não para a querida Naninhas (que sim, também eram pequenas..). Depois de 16 anos de uma vida triste e solitária, sem razoes aparentes para rir ou ser feliz, a feia Ciprinhas andava cada vez mais desolada e sem saber que rumo dar á sua vida. O manifesto desprezo que os rapazes, homens e meninos lhe davam só fazia aumentar a sua sede de conhecimento pela eterna pergunta: “Porque é que ninguém me quer fazer mulher?”
Foi então, num dia de intenso calor, num daqueles dias em que por menos roupa que tenhamos vestida ainda queremos tirar mais que a nossa muí amada professora conheceu o Rudi Ranhoso aka Corcunda. Este avantajado homem rondava a idade dos 58 anos mas ainda possuía o imenso vigor de quem nunca o conseguiu expelir por lado nenhum.. Era um homem deveras bonito para quem aprecia uma junção de Frankenstein com o Abominável Homem das Neves e o Corcunda de Notre Dame. Para alem destes elevados atributos físicos o nosso Cavaleiro Andante possuía ainda a particularidade de estar constipado desde o 2º ano e por isso o cognome de “O Ranhoso”. Pois bem, foi nesse dia tórrido que a jovem Fernanda Cipriano conheceu o galã Rudi Ranhoso. Nada previa o desfecho que tal encontro provocou. Eles olharam-se mas não se viram.. Cada qual julgou estar perante o mais lindo actor/actriz de cinema alguma vez visto (ambos tinham problemas visuais, uma miopia em estado muito avançado e preocupante). Foi assim que correram para os braços um do outro, não antes sem o Rudi tropeçar que isto de correr e ser corcunda tem que se lhe diga, e começaram de imediato a saciar a sede de desejo que ambos sentiam por qualquer pessoa, coisa ou animal. Estavam ainda a tentar perceber por onde começar quando a mãe da jovem Ciprinhas apareceu e com uma voz bem aguda e sotaque á peixeira do Mercado da Ribeira disse: “Aiiiii minha tão menosprezada filha mas que raio é que estas a fazer agarrada a esse poste de alta tensão com esse corcunda feio e sujo ao lado a arrancar plantas de jardim?” Obviamente a pobre Naninhas ficou sem palavras e começou a corar violentamente quando percebeu que se encontrava no meio do jardim da sua escola Secundaria rodeada de colegas que só riam e apontavam. O Rudi ao encontrar os óculos fundo-de-garrafa que tinham caído na correria olhou de frente para a suposta paixão e disse: “Piiiiiiiiiiiiiii mais vale sozinho, feio e corcunda do que com alguém assim tão louco..” E foi assim que a nossa querida professora corou pela primeira vez e teve de fazer um sorriso forçado a fingir que tudo aquilo havia sido planeado e tinha um propósito qualquer.

E é exactamente isso que acontece 20 anos mais tarde quando ela nos dá aulas e alguém lhe chama a atenção para algo que esta errado, mal escrito, ou simplesmente gatafulhado.. Ela cora e cora e cora, de tal modo que começo a julgar que qualquer dia a cabeça dela rebenta com tanto sangue acumulado. A professora lembra esse momento tão embaraçoso (seguido de muitos outros que relatarei a seu devido tempo) e fica sem saber como reagir, por isso faz aquele sorriso idiota de quem foi apanhado em falta e começa a balbuciar desculpas incompreensíveis. Não se admirem portanto quando estes momentos acontecem nem tentem compreender a sua relação com a situação em causa. Não há relação nenhuma, ela é que não consegue superar o encontro com o Rudi e não há nenhum psiquiatra disposto a aceitar este gravíssimo caso. Peço então um pouco de compreensão e a próxima vez que este episodio acontecer lembrem-se que no fundo, no fundo a culpa não é dela, é sim o seu amado Rudi que não soube colocar-se em posição para o encontro decorrer mais agradavelmente..

Continuarei com a descrição de alguns excitantes episódios da vida da nossa Ciprinhas quando retomar as aulas teóricas e tiver tempo/paciência para tal.

Jinhs*iNez*

domingo, dezembro 03, 2006

2ª Sondagem de CivZone


Como esta é uma altura festiva, em que as ruas das cidades estão todas iluminadas à custa dos "nossos" impostos, e é também por esta altura que o português após a recepção do subsídio de natal vai gastar umas dezenas de euros em prendas rídiculas para familiares e amigos. E nós os "civis" não deviamos passar ao lado desta grande data que se avizinha e aqui lanço a 2ª sondagem..

2ª Sondagem do CivZone: Parece-vos bem tentar organizar uma jantarada de natal para o pessoal de civil sentir o espírito desta época e trocar umas prendas?